Acredito que o mundo tem muito para nos ensinar, mostrar e inspirar, além disso, é muito mais fácil ensinar através da experiência, mostrar-lhes que o mundo é muito maior que o seu país e que a sua cidade, que existem outras línguas (mostrando-lhes a importância da aprendizagem de outros idiomas), outro tipo de comidas e que elementos icónicos que veem em livros e filmes existem na realidade.

 

A primeira viagem que fizemos foi com destino a Paris. Obviamente que passámos alguns dias na Disney, paragem obrigatória quando temos crianças, mas depois de alguns dias de excitação no Mundo do Mickey, seguimos rumo à cidade.

 

 

Com duas crianças pequenas é normal perguntarmo-nos se conseguimos de facto visitar algo que também nós gostamos, mostrar-lhes e ensinar-lhes algo. Eu própria duvidei de tal algumas vezes, no entanto, o resultado da nossa semana foi maravilhoso (mesmo com pequenos percalços) e por isso esta partilha de ideias para as suas próximas viagens:

 

1 – Escolha do destino: penso que é mais fácil começar por cidades icónicas, que eles, mesmo sendo pequenos, já tenham a noção da sua existência – Londres, Paris, Roma, Madrid… e que preferencialmente não sejam muito longe, sendo talvez esta a primeira vez que viajam de avião.

2 – Preparação, preparação, preparação – Com crianças a preparação é fundamental, as crianças gostam de saber que há algo estipulado dando-lhes algum conforto e segurança. Alguém sabe o que está a fazer e para onde vamos a seguir!

3 – Uma cidade que já conhece – Para mostrar uma cidade, facilita muito que já a conheça. Sendo Paris uma das minhas cidades de eleição, foi muito fácil fazer um plano só com os monumentos mais marcantes como a Torre Eiffel ou o Arco do Triunfo, deixando a entrada em museus e palácios para uma visita posterior.

4 – On the move – as crianças gostam de estar sempre a fazer coisas diferentes. Por isso tentámos que vissem o maior número de coisas de forma divertida e não muito cansativa.

Comprámos bilhetes dos Bus de hop-on hop-off (autocarros de 2 andares que faz rotas turísticas, sendo que o 2º andar é sem capota – extra fun, além disso é muito didático para crianças – tendo áudio guias em Português)!

 

 

Fizemos também um pequeno cruzeiro pelo Sena, também com áudio guia, fazendo com que a viagem tivesse sempre momentos diferentes e divertidos.

5 – Me time ! – óbvio que, muitas vezes, aquilo que nos apetece fazer, não é bem o que apetece aos mais pequenos. Um exemplo clássico – compras! Tente aliar ambas as coisas – por exemplo as Galeries Lafayette inseriu um trampolim mesmo no meio da sua loja principal – fazendo as delícias de todos! Mas, se quer o meu conselho, não desperdice muito tempo nestas atividades, podendo acabar por ser frustrante para todos.

 

 

 

6 – Prepare-se para os imprevistos – mesmo nos melhores planos existirão contrariedades. Não pense muito nisso, no fim de contas o importante é que se tenha divertido, aproveitado para praticar uma língua estrangeira e carregado baterias!

 

Desejo-lhe muitas e excelentes viagens (com filhos ou não),

 

 

 

26 de abril de 2019